Autorais/Literatura

Filho Teu Não Foge À Luta – Fellipe Awi

Carlson Gracie e Vitor Belfort

A “recente” explosão do MMA no Brasil, na verdade, só começou a fazer justiça a uma história repleta de grandes lutadores, num esporte em que o Brasil sempre foi protagonista e colaborou diretamente para a fundação do UFC: criado por Rorion Gracie e Art Davie. O livro de Fellipe Awi, repórter premiado de O Globo e Sportv, é feliz na abordagem completa que busca fazer e nas mais de 50 entrevistas realizadas, com lutadores, empresários, treinadores e personagens ligados ao mundo do MMA, em que surgem até diversos políticos (senadores, governadores, prefeitos), celebridades e um juiz do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, faixa preta em jiu-jitsu.

Awi dedica boa parte do livro para contar a história da família Gracie, desde a década 20, quando começou a desenvolver seu próprio estilo do “jujutsu” japonês. O desenvolvimento e as inovações brasileiras na luta foram tantos que deram origem ao brazilian jiu-jitsu, fundamental dentro do MMA. Um marco entre os desafios com televisionamento e grande público é a luta entre Hélio Gracie e o japonês Kimura, em 1951, na época o maior lutador de jiu-jitsu do mundo.

A sanha dos diversos membros da família Gracie em tentar provar a superioridade do jiu-jitsu sobre qualquer outra luta originou inúmeros eventos durante as décadas de 70, 80 e 90, incluindo “O Grande Desafio”, em 1991, na histórica luta de Wallid Ismail contra Eugênio Tadeu. Evento, televisionado pela TV Globo, que foi um desastre completo pela superlotação, falta de organização e grau de tensão no Maracanãzinho. Desastre que adiou um bocado o verdadeiro reconhecimento do MMA no Brasil.

FTNFAL

O livro conta em detalhes a rivalidade criada entre o jiu-jitsu, o muay-thai e a luta livre. Foco de verdadeiras batalhas entre academias no Rio de Janeiro, a onda de cobertura negativa da imprensa sobre os “pit-boys” na década de 90, todas as minúcias, as dificuldades e os problemas da fundação, decadência e triunfo do UFC em seus diversos momentos.

Todos os principais nomes da família Gracie e todos os principais lutadores da história do Brasil são relatados ou entrevistados. O auge de muitos no Pride, no Japão, evento que caiu em desgraça pelas ligações com a máfia japonesa (yakuza), até ser comprado pelo UFC e as várias tentativas (e fracassos) de criar eventos de sucesso no Brasil, que hoje estão razoavelmente solidificados com pelo menos dois: o Shooto Brasil e o Jungle Fight.

É uma obra tão completa quanto possível, em suas mais de 300 páginas que te prendem à todo momento. Indispensável aos fãs de MMA e praticantes de luta, bem como para muita gente que parece nutrir um preconceito acéfalo contra as artes marciais mistas. Além de tudo, são muito úteis a lista de todos os personagens e de todos os eventos citados e relatados por Awi no livro, muitos deles (incluindo trechos da luta de Hélio), disponíveis no YouTube.

Lançado agora em abril pela Intrínseca, está disponível por um preço pra lá de justo.

Mais:

Matéria com Fellipe Awi na Gracie Mag

Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Protected by WP Anti Spam