Política & Economia

George W Bush mata mais que 6 Haiti (e além)

Estima-se que o número de mortos no Haiti pode passar de 100 mil. A tragédia, considerada a pior dos últimos 60 anos pela ONU, devasta um dos países mais pobres do mundo, gerando um caos de magnitude que nenhum de nós que não tenha vivido o horror pode compreender. Uma tragédia natural, impossível de evitar e imprevisível.

A Guerra do Iraque, em contrapartida, matou 600 mil civis (até 2006). Repito: 600 mil pessoas, inocentes, foram mortas pela “guerra ao terrorismo” de George W Bush. Sem contar as vítimas feridas, decepadas, aleijadas e as sequelas mentais, psíquicas, sociais. A herança que algo assim deixa. O mundo é uma bomba relógio permanente: e não podemos ver o timer. A “empreitada” de Bush filho ainda consumiu aproximadamente 2 trilhões de dólares. Sem falar no patrimônio histórico e cultural irremediavelmente destruído: o Iraque é uma das regiões mais antigas do mundo, berço de algumas das mais importantes civilizações que conhecemos.

Tudo plenamente evitável, contornável, capaz de ser resolvido de outra forma que não a irracionalidade. Duas tragédias, de características e implicações terrivelmente diversas, colocadas lado a lado “apenas” para relembrar de fatos tão recentes que se perdem fácil no esquecimento coletivo institucionalizado.

Feliz 2010.

Standard

One thought on “George W Bush mata mais que 6 Haiti (e além)

  1. N.S.E. says:

    O que sempre fica sem comentario na verdade eh a atitude mental em relacao as tragedias sociais que o terremoto ou a guerra reforcam. O mundo iluminado, que a ONU representa, com sua cultura ateista-colonialista-industrial nao perde a chance de mostrar ao mundo o quao bom nos podemos ser com a nossa filantropia. Mas essas tragedias sao alimentadas justamente por essa atitude. O “bem” que podemos fazer, com as nossas doacoes e preces, eh de um cinismo sem precedente: eh como o pai que abusa da filha sexualmente, recondito, mas que no dia seguinte vai a apresentacao de bale dela e a aplaude, orgulhoso, mais efusivamente que qualquer dos parentes das demais meninas. Eh impossivel nao ouvi-lo no teatro, e ninguem diria que ele eh a pior coisa da vida da filha.

    Mas isso nao vem de ontem. Eh so dar uma olhada nos contos de Voltaire para ver como o Oriente ja era imaginado em forma de Franca. Eh essa ideia de que todas as NOSSAS instituicoes, que a principio devem refletir o espirito de uma civilizacao, e por essa razao sao irredutiveis e intransferiveis, sao em absoluto MELHORES que quaisquer outras, que determinam a feiura da cara do cinico.

    “Vamos fazer com que eles abandonem a sua cultura para provar da nossa”, e quando ha resistencia os bastioes da Razao sao os primeiros a mover as armas da guerra e promover o massacre. No fim do dia, eh a nossa cultura do ressentimento que nos faz doar o dinheirinho para salvar as vitimas da tragedia… a cultura que aprova o mecanismo do bondoso, caridoso papai ao custo do abuso do filho como sinonimo de BEM.

    Para isso so ha um remedio: que aqueles que participam da vida politica, nacional e internacional, de seus respectivos paises, antes de mostrar o quao bom podemos ser, facam um exame de consciencia, e pensem antes de qualquer coisa ate onde estamos dispostos a realmente ENTENDER o outro, seja voce, seja o Haiti, sem que sintamos nem por um instante o impeto de impor qualquer visao de mundo que possamos ter. E isso quer dizer que precisamos abandonar a “Razao” como a entendemos ate aqui. Ela eh destrutiva.

    Que os iluminados inimigos das tradicoes me provem errado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by WP Anti Spam