Literatura

Emil Cioran: 14 livros em espanhol

Já falei de Cioran (1911-1995) aqui. Filósofo romeno, amargo e cínico na medida. Há anos tenho comigo 14 livros completos dele, em espanhol. Não lembro a fonte, senão daria os créditos. De todo modo, não tenho informações se as obras dele estão publicadas no Brasil, tampouco em espanhol. Agora disponibilizo os 14 livros em sequencia, que recomendo muito a leitura. Espalhe.

Ejercicios-de-admiracion-y-otros-textos

Cuaderno de Talamanca

Del-incoveniente-de-haber-nacido

Breviario-de-los-vencidos

Breviario-de-podredumbre

De lagrimas-y-santos

Desgarradura

El-aciago-demiurgo

Ese-maldito-yo

Historia-y-utopia

La-caida-del-tiempo

La-tentacion-de-existir

Silogismos-de-la-amargura

En-las-cimas-de-la-desesperacion

Standard

5 thoughts on “Emil Cioran: 14 livros em espanhol

  1. tiago garcia says:

    Cara, no Brasil temos: Breviário da Decomposição ótima tradução de José Thomaz Brum). Exercicios de Admiração (mesmo excelente tradutor). História e Utopia (tradutor idem – mas livro, para mim, ruim). Antologia do retrato (textos somente organizados por Cioran de “retratos” escritos por autores do XVIII francês)…

    Nos falta, e falta aí na lista, uma tradução dos Cadernos (ou Cahiers – coleção de diarios do Cioran de 1957-1972). Meu livro preferido…o “Cioran privado” é muito mais humano, e pra mim bem mais sensato!

  2. MAngelo says:

    Minha sensação sobre Cioran é que ele é um insensato por “natureza”! rs adoro isso nele…e dou muitas risadas lendo o que ele escreve. Algo, pra mim, normal…mas vai saber.

    N sabia dessas traduções em PT BR, só vi algo nas prateleiras de livrarias tempos atrás q n lembrava qual era.

    Esse “Cioran Privado” (título é esse mesmo?) tu conseguiu como? onde? é em francês?

  3. tiago garcia says:

    Escrevo apressado e faço um monte de merda com pontuação (ainda mais do que normalmente faço rs).

    Não, o nome do livro é Cahiers (Caderno em francês), ‘Notebooks’ na tradução inglesa. Eu tenho em francês mesmo (acho que em espanhol só tem a tradução de um pequeno trecho).

    Digo “Cioran privado” falando dos Cahiers, em contraponto às obras do Cioran escritas para publicação.

    Então, existe um certo exagero retórico em boa parte dos livros de Cioran (com excessão de alguns de seus últimos livros que parecem mesmo terem saído de um diário).

    No diário a reflexão do Cioran mergulha na dia-a-dia, se torna mais prática e mais humana, mais sensata (o breviário da decomposição tem por exemplo, um ar meio byroniano algo meio romântico)…

    Tem anotações, por exemplo, do como o cara se sentia mal falando com o Paul Celan, como era difícil não magoar o cara (e por consequencia magoar a ele mesmo – que gostava do Celan).

    Tem uma outra que ele escreve que brigou com a zeladora de prédio dele – e que pra se esvaziar da raiva escreveu no papel um monte de xingamentos e que isto funcionou perfeitamente hehe

    Tem outra que Cioran descreve como uma amiga romena ligou pra casa dele dizendo que queria se matar…e esforço, sem ser bobo ou otimista, que o cara fez para convencer ela do contrário.

    Sob este contexto mais banal – e mais real – a obra dele ganha uma dimensão diferente!

  4. Leo Andrade says:

    Tem também “A tentação de existir” em português, da Relógio d’água, uma editora portuguesa. O livro tem muitos erros de revisão, mas a leitura flui. Encontrável em bibliotecas públicas.
    Mas muito obrigado pelos livros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by WP Anti Spam