Listas/Citações

Um pouco de Cioran

Emil Cioran é um dos pensadores mais idiossincráticos – e divertidos – de nosso tempo. Em proporção, talvez eu discorde de 60% do que ele fala e ache os outros 40 geniais. Ele próprio, contudo, não deveria concordar com o que dizia: a coerência em Cioran é uma contradição. Por mais que negue, o romeno preza pelo estilo, pela acidez, o resto é resultado de observações amargas e curiosas da vida, mas sempre com a preocupação de dizer algo. Ele sabe rir de si mesmo…predicado mais do que fundamental para qualquer ser humano saudável: tenha medo de quem não consegue rir de si próprio.

Um pouco do rapaz em “Silogismos da Amargura”:

Sin nuestras dudas sobre nosotros mismos, nuestro escepticismo sería letra muerta, inquietud convencional, doctrina filosófica.

*

No queremos seguir soportando el peso de las “verdades”, continuar siendo sus víctimas o sus cómplices. Sueño con un mundo en el que se muriera por una coma.

*

La historia de las ideas es la historia del rencor de los solitarios.

*

Es fácil ser “profundo”: no hay más que dejarse invadir por las propias taras.

(…)

Padrão
Literatura

XI

Meu poema favorito de Neruda:

“Tenho fome de tua boca, de tua voz, de teu pêlo
e por estas ruas me vou sem alimento, calado,
não me nutri o pão, a aurora me altera,
busco o som líquido de teus pés neste dia.

Estou faminto de teu riso resvalado,
de tuas mãos cor de furioso silo,
tenho fome da pálida pedra de tuas unhas,
quero comer teu pé como uma intacta amêndoa.

Quero comer o raio queimado em tua formosura,
o nariz soberano do arrogante rosto,
quero comer a sombra fugaz de tuas sobrancelhas.

e faminto venho e vou olfateando o crepúsculo
buscando-te, buscando teu coração quente
como uma puma na solidão de Quitratúe.”

Padrão