Esportes

NBA aprova uso de replays em jogadas polêmicas

2003-0709-nba

Juntando-se ao tênis e ao “futebol americano”, que já permitem o uso de replays para tirar dúvidas em jogadas polêmicas, a NBA anunciou que a partir da próxima temporada (2008/2009), que começa hoje, os árbitros poderão fazer uso do recurso para esclarecer lances e questões duvidosas. A decisão foi tomada pelos dirigentes de todas as franquias da liga. Leia mais aqui.

Discussão antiga no futebol, que reluta em adotar tais “novidades tecnológicas” para não manchar “a magia” do jogo, a NBA, em contrapartida, ajuda a colocar outro ponto a favor de recursos do tipo. Pra mim, em nada estraga a dinâmica e a essência do jogo, sendo coisa de toperas nostálgicas defender a não-adoção com a total falta de argumentos, a não ser misticismos e coisas do gênero. Afinal, ver um time vencer o outro de modo desonesto não é nada “bacana” e “legal”. E dado o nível medonho dos árbitros brasileiros, uma medida assim pelo menos ajudaria a corrigir os absurdos.

Leia Mais

Standard
Esportes

O Brasil e o Futsal

Foto: Antonio Scorza/AFP

O Mundial de Futsal, que está sendo realizado no Brasil, é ótima oportunidade para verificarmos as peculiaridades deste esporte em nosso país. Infinitamente reduzido perante que o futebol de campo, o futsal é, arrisco dizer, o esporte mais praticado no Brasil. Os jovens não crescem jogando no campo, mas na quadra – que toda escola pública e privada possui. É no futebol de salão que as crianças e adolescentes crescem jogando e se formando, seja sua paixão pelo futsal seja a própria prática. Posteriormente, algumas migram para o futebol de campo, incomparavelmente mais rico e celebrado.

O mundial recebeu investimentos de R$ 9 milhões da prefeitura do Rio e incríveis R$ 54 milhões da CBFS, num custo total, dividido com a FIFA, de RS 100 milhões. Para se ter uma idéia da importância comercial e prática da modalidade, basta dizer que, dos 31 bilhões de reais movimentados anualmente por artigos esportivos no Brasil, o futsal responde por 80% deste valor, contra 12% do futebol soçaite e 8% do futebol de campo. Daí a Topper, tradicional marca representativa da categoria, investir todos seus esforços no futsal e obter um retorno muito mais alto, dividindo um mercado disputado por DalPonte, Adidas, Nike, entre outras.

Transmitido para mais de 150 países, o Mundial é a oportunidade de o Brasil (tricampeão em 89, 92 e 96) recuperar a hegemonia perdida para a Espanha, vencedora em 2000 e 2004 (e que se classificou para a atual final sob muita polêmica).

Praticamente ignorado pela maioria da mídia em edições anteriores, o evento é bem coberto apenas porque se realiza no Brasil – o que entrega a nossa extrema incompetência e descaso em acompanhar, divulgar e dar importância a outras modalidades que não o futebol de campo, mesmo em se tratando do futsal. O quanto a “pátria de chuteiras” ignora outros esportes não é nem preciso dizer.

Não temos sequer uma liga profissional equilibrada e bem estruturada: ano a ano as disputas se modificam e os times são reféns de investimentos de prefeituras e marcas, que colocam seus nomes nas equipes. A transmissão fica restrita a canais a cabo.

Incompreensivelmente ainda não oficializado como esporte olímpico (assim como o futebol de areia), o futsal é tratado tão somente como um irmão infinitamente mais pobre que o de campo, por várias razões. Mas para o mercado e na prática esportiva, ele se mostra maior e mais importante.

Cada país tem os campeões que merece.

Leia Mais

Standard
Filmes

Lords Of Dogtown

Os Reis de Dogtown – Catherine Hardwicke – 2005 – ***1/2

História real de Stacy Peralta, Tony Alva e Jay Adams, os três principais nomes dos Z-Boys, equipe de skate que revolucionou o esporte e definiu as bases para o que é hoje. Bem filmado, fugindo do esquema “puramente ação” que se poderia esperar. Heath Ledger prova que, mesmo num papel menor, é um dos maiores atores da sua geração, extremamente talentoso e convincente. Melhor que o esperado.

Leia Mais

Standard