Acesse o estudo completo sobre os impactos da lama da Samarco feito por pesquisadores da UFES

Até o momento entregue somente para o ICMBio, conseguimos acesso e autorização da UFES para divulgar com exclusividade o estudo “Monitoramento da influência da pluma do Rio Doce após o rompimento da Barragem de Rejeitos em Mariana/MG – Novembro de 2015: Processamento, Interpretação e Consolidação de Dados“. Acesse aqui o relatório completo. São 254 páginas […]

Leia Mais

Em 30 anos, todos os corais do mundo terão desaparecido. E a culpa é nossa.

Se você acha que o título dessa matéria é alarmista, pense de novo: nos últimos 30 anos, o planeta perdeu 50% das suas formações de corais. A temperatura dos oceanos tem aumentado consideravelmente, acima de 2 graus celsius, o suficiente para causar fenômenos de extinção em massa – branqueamentos – dos corais, como os que […]

Leia Mais

Estudo comprova: contaminação do Rio Doce é crônica e consequencias ainda são desconhecidas

O dobro de ferro, quatro vezes mais de alumínio e três vezes mais manganês do que havia no Rio Doce antes da chegada da lama tóxica da Samarco. Redução de 40% em diversidade e grande diminuição dos tipos de plânctons disponíveis, microalgas base da cadeia alimentar. Impactos ainda desconhecidos na saúde humana que só vão […]

Leia Mais

Pesquisadores afirmam que lama da Samarco é “forte ameaça ao banco de Abrolhos, na Bahia”

Do ICMBio O monitoramento dos rejeitos de mineração da barragem da Samarco na zona costeira e marinha do Espírito Santo e sul da Bahia precisa ser mantido e, mais ainda, aprimorado, pois o nível de contaminação, embora tenha aparentemente diminuído, ainda suscita grande preocupação. No momento, o fluxo da lama, que se concentra no fundo […]

Leia Mais

“O Rio Doce está completamente morto, jogaram a tabela periódica inteira nele”, diz diretor do SAAE

Ao contrário do que insiste em afirmar a Samarco, já desmentida por análises preliminares, a lama despejada no Rio Doce contém a presença de partículas de metais pesados como arsênio, chumbo, alumínio, ferro, bário, cobre, boro e até mercúrio. É o que revela análises laboratoriais de amostras da água do rio encomendadas pelo Serviço Autônomo de […]

Leia Mais

A Vale mentiu: a lama das barragens tem concentração de metais até 1.300.000% acima do normal

“A lama não é tóxica, a alma não é tóxica, a lama não é tóxica”: este foi o mantra repetido pela Vale desde o início do crime. Ao contrário do afirmado pela companhia, de que a composição da lama seria predominantemente de sílica (areia), análises preliminares já mostram índices de ferro de até UM MILHÃO […]

Leia Mais