Quem é quem nas discussões do Novo Código da Mineração: saiba quanto cada político recebeu das mineradoras

O Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração, da qual o INESC e o IBASE participam com várias outras organizações da sociedade civil, lançou em agosto a segunda edição da publicação “Quem é Quem nas discussões do Novo Código da Mineração” – a primeira edição foi lançada em 2013.

A cartilha revela quem financia a campanha de parlamentares que participam das discussões sobre o novo Código de Mineração do país.

A publicação tem especial importância para que formadores de opinião e o público em geral tenham conhecimento da gravidade do que está por trás do financiamento de parlamentares por empresas mineradoras.

“Por que as empresas mineradoras investem pesado no financiamento das campanhas políticas? Por que os parlamentares mais financiados pelas mineradoras são os mesmos que compõem a Comissão Especial da Câmara dos Deputados encarregada de analisar e propor mudanças no Novo Código da Mineração? A quem servirão as mudanças no Código proposta por esta Comissão?”, questiona Alessandra Cardoso, assessora política do Inesc. “O financiamento privado dos partidos e das candidaturas tem seu preço.”

Leonardo Quintão (PDMB-MG), relator da Comissão, recebeu em 2010 R$ 400 mil das mineradoras e em 2014, mais de R$ 2 milhões. Veja os detalhes do financiamento de campanha de todos os parlamentares. O trabalho é da pesquisadora Clarissa Reis Oliveira.

Acesse também a cartilha completa!

(clique para ampliar)

0007

0008

0009

0010

0011

Maurício Angelo

Jornalista e escritor capixaba, mineiro por formação, radicado em Brasília. Cobre temas relacionados a conflitos socioambientais, políticas públicas, Amazônia, mineração e direitos humanos.

5 thoughts to “Quem é quem nas discussões do Novo Código da Mineração: saiba quanto cada político recebeu das mineradoras”

  1. Muito oportuna essa informação. O que dizer da qualidade e dos compromissos da maioria desses parlamentares? Parece que só se pode dizer mesmo que sao atores apenas interessados nos interesses do grande capital… Assim eles fazem do estado o legítimo representante dos interesses da burguesia, como aprendemos com o velho Marx.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *