Observatório da Mineração

O Observatório da Mineração, fundado em 2015, é um centro de jornalismo investigativo sobre a mineração, as violações socioambientais, o lobby e as relações políticas do setor extrativista.

Os dois rompimentos de barragens da Vale/BHP em Mariana e Brumadinho (2015 e 2019), os maiores desastres socioambientais da história do Brasil, também estão no nosso radar, assim como o garimpo ilegal, os mega projetos, a atuação de empresas multinacionais e os impactos da mineração especialmente na Amazônia e no Cerrado.

Até hoje, o Observatório já produziu mais de 200 matérias investigativas exclusivas, análises e reportagens com diversos enfoques, incluindo furos mundiais.  

O Observatório foi apresentado em duas palestras – “Digging into the Extractives Industry“ e “Investigating Disasters“ – no maior evento de jornalismo investigativo do mundo, realizado pela Global Investigative Journalism Network (GIJN) em Hamburgo na Alemanha em setembro de 2019.

As matérias investigativas produzidas pelo Observatório da Mineração já foram publicadas no Portal UOL, o maior da América Latina, no Intercept Brasil, na Unearthed, no Mining, na Organized Crime and Corruption Reporting Project (OCCRP), na Repórter Brasil e em diversos outros veículos em português, inglês, alemão e espanhol. Somos parceiros da Mongabay, presente em 12 países, que republica com frequência o nosso conteúdo em português e inglês. 

Em 2021, ministramos um workshop para jornalistas investigativos da Guiana com foco no setor extrativo a convite da Pan American Development Foundation (PADF) e estamos disponíveis para desenvolver treinamentos específicos para jornalistas e pesquisadores em qualquer lugar do mundo. Entre em contato.

Escrevemos todos os textos e colaboramos na pesquisa do relatório “Cumplicidade na Destruição III – Como Corporações Globais Contribuem para Violações de Direitos dos Povos Indígenas da Amazônia Brasileira”, publicado pela Amazon Watch e pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) em outubro de 2020 em português e inglês.

A página no Facebook conta atualmente com 35 mil curtidas e alcançou mais de 10 milhões de pessoas segundo o algoritmo da rede social desde a sua criação em novembro de 2015. O site também tem um perfil no Twitter. O canal no You Tube acaba de ser lançado.

Leia mais sobre todo o impacto já alcançado até hoje pela atuação do Observatório da Mineração:

Acesse o site

Acompanhe no Twitter

Siga no You Tube