Observatório da Mineração

Observatório da Mineração, fundado por mim em 2015, é um centro de jornalismo investigativo, análise crítica, pesquisa e mentoria sobre a mineração, as violações socioambientais, a crise climática e transição energética, as relações políticas e o lobby do setor mineral.

Investigamos a participação da mineração e do setor extrativo na crise climática global, o garimpo ilegal, os megaprojetos, a atuação de empresas multinacionais e os impactos da mineração especialmente na Amazônia e no Cerrado.

Somos especializados em cobrir as movimentações políticas do Executivo e do Legislativo, as ações do Ministério de Minas e Energia e da Agência Nacional de Mineração, o lobby em Brasília e nos estados, o licenciamento ambiental, as mudanças legais e infralegais relevantes e a participação do judiciário.

Relatamos como os povos indígenas, comunidades tradicionais e cidades inteiras são afetados pelos projetos minerários.

Mapeamos financiadores, investidores e toda a cadeia de extração, produção, distribuição e exportação mundial, revelando os principais atores envolvidos, analisando o discurso e a prática.

Os dois rompimentos de barragens em Mariana e Brumadinho (2015 e 2019), os maiores desastres socioambientais da história do Brasil, estão no nosso radar desde o início, assim como outros rompimentos, acidentes e desastres envolvendo a mineração.

Até hoje, o Observatório já produziu mais de 250 matérias investigativas exclusivas, análises e reportagens com diversos enfoques, incluindo furos mundiais.  

Nossas matérias serviram de base para pedidos de investigação feitos ao Ministério Público, pedidos de suspeição de um juiz responsável pelo caso do Desastre de Mariana, cobranças oficiais a atores envolvidos na cadeia da mineração no Brasil, na Europa, América do Norte, América Latina e África, denúncias de movimentos sociais, juristas, organizações da sociedade civil e associações de pesquisadores.

Leia mais sobre todo o impacto já alcançado até hoje pela atuação do Observatório da Mineração.

PARCERIAS

Somos parceiros frequentes do Portal UOL, o maior portal da América Latina, que já republicou diversas matérias do Observatório.

Também temos parceria com a Mongabay, portal especializado presente em 12 países, que republica o nosso conteúdo em português e inglês. 

Textos do Observatório saíram no El País Brasil, no Intercept Brasil, na Unearthed, no Mining, na Organized Crime and Corruption Reporting Project (OCCRP), na Repórter Brasil e em dezenas de outros veículos em português, inglês, alemão, francês e espanhol.

As matérias do site podem ser republicadas na íntegra, desde que se respeite o conteúdo original, a fonte, o autor e o link do texto.

 O Observatório foi apresentado em duas palestras – “Digging into the Extractives Industry“ e “Investigating Disasters“ – no maior evento de jornalismo investigativo do mundo, realizado pela Global Investigative Journalism Network (GIJN) em Hamburgo na Alemanha em setembro de 2019.

Mantemos diálogo com diversas organizações espalhadas pelo mundo que cobrem e fazem incidência política no setor extrativo.

TREINAMENTO E MENTORIA

Em 2021, ministramos um módulo de jornalismo investigativo sobre mineração para a Pós-Graduação em Jornalismo Investigativo do Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP).

 Fomos responsáveis por dois workshops para jornalistas investigativos da Guiana com foco no setor extrativo a convite da Pan American Development Foundation (PADF).

Demos um workshop para estudantes de jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e uma palestra sobre lobby na mineração dentro de um curso oferecido pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), entre outros.

Estamos disponíveis para desenvolver treinamentos específicos para jornalistas e pesquisadores em qualquer lugar do mundo.

Também oferecemos mentoria para jornalistas em qualquer fase da carreira, de iniciantes a profissionais estabelecidos que precisem de orientação na área investigativa e socioambiental.

Entre em contato.

APOIADORES

Fundação Heinrich Böll Brasil apoia o nosso trabalho financiando projetos de curto e médio prazo desde 2019.

Instituto Socioambiental (ISA), a Amazon Watch e a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) apoiaram projetos específicos, incluindo séries de matérias especiais e relatórios.

Estamos em conversa permanente com potenciais financiadores que compartilham do nosso propósito, histórico e perfil.

Jornalismo investigativo sério e independente custa caro, demanda tempo, dedicação e inclui assumir riscos diários.

O Observatório da Mineração precisa de financiamento para se manter e expandir.

Se você representa uma instituição alinhada com o nosso propósito, entre em contato. 2022 é mais um ano crucial para o Brasil e o mundo e queremos continuar mostrando o que o setor mineral não quer que a sociedade saiba.

REDES SOCIAIS

A página no Facebook conta atualmente com 35 mil curtidas e alcançou mais de 10 milhões de pessoas segundo o algoritmo da rede social desde a sua criação em novembro de 2015.

O site tem um perfil no Twitter para divulgar as matérias próprias e de terceiros, interagir com a audiência e fazer fios e análises rápidas sobre o setor mineral.

canal no You Tube foi lançado em 2020 e publica análises críticas, material exclusivo e faz lives com convidados especiais.

página do Instagram foi criada em 2021.

Siga, acompanhe e divulgue!